Efeito da pressão positiva contínua nas vias aéreas na absorção de líquidos entre os pacientes com derrame pleural por tuberculose

   Não é de hoje que utilizamos de pressão positiva em pacientes com derrame pleural e sempre nos questionamos se isso poderá trazer algum beneficio real a nosso paciente.

 

   No estudo Effect of continuous positive airway pressure on fluid absorption among patients with pleural effusion due to tuberculosis, eles determinaram se a pressão positiva poderia atuar no aumento da absorção do derrame pleural.

 

   O estudo foi de caráter prospectivos em pacientes maiores de 18 anos e os pacientes eram submetidos a radiografia de tórax póstero-anterior e decúbito lateral, além de realizado toracocentese com biópsia. O diagnóstico de Tuberculose foi realizado pela análise do líquido pleural e todos os indivíduos dos grupos foram submetidos a tomografia de tórax antes de iniciar o tratamento e quatro semanas após o tratamento.

 

   O grupo intervenção recebeu CPAP associado ao tratamento medicamentoso, onde o CPAP era realizado por um único Fisioterapeuta por três vezes por semana usando uma PEEP de 10 cmH20 por 30 minutos com um gerador de fluxo. A posição do paciente era sentada e a aplicação durou 4 semanas. Se os pacientes de ambos os grupos não tomassem os medicamentos de forma correta eram excluídos do estudo e isso era monitorizado pelo telefone.

 

   No total 20 pacientes foram selecionados para o estudo e nenhum deles eram resistentes a rifampicina e isoniazida. 

imagem 1.png

A tabela mostra que a variação relativa entre o inicio e o fim (após 4 semanas de tratamento) do volume do fluido pleural foi significativamente maior no grupo intervenção (83,5% ± 3,6) do que no grupo de controle (36,9% ± 2,9;_) p <0,001), sugerindo que o CPAP acelerou a velocidade de absorção do fluido. 

imagem 2.png

A figura demonstra a reconstrução do derrame pleural inicial em 3D e assim o estudo demonstra também as reconstruções em pacientes de ambos os grupos.

   O interessante neste estudo é que ocorreu uma redução significativa no derrame pleural no grupo CPAP (83,5%) após 4 semanas de tratamento, em comparação com o grupo controle (36,9% ± SD 2.9); p <0,001). 

 

   Outro ponto importante é que muitos pacientes poderão desenvolver espessamento pleural um ano após o tratamento com medicamentos, e essa redução mais rápida que ocorreu no derrame pleural pode talvez reduzir está taxa de fibrose pleural.

 

Limitação do estudo:

  • A administração de medicamentos em ambos os grupos não foram verificadas de forma direta, assim podendo alterar o resultado do estudo sobre a absorção do derrame pleural

 

 

   Assim os autores concluíram que o uso do CPAP parece ter aumentado a absorção pleural nos pacientes, mas que ainda necessitamos de mais estudos para elucidar estes resultados.