ASSINCRONIA DE FASE 1

fase1.jpg

    A assincronia discutida hoje será da fase 1 que corresponde ao disparo do ventilador mecânico, ou seja, o esforço que o paciente terá que realizar para vencer o valor pré-regulado da sensibilidade pelo controlador da máquina, para conseguir abrir a válvula inspiratória do VM.  A assincronia de fase 1 é chamada de assincronia de disparo, ou seja, ocorre algum problema que o paciente não consegue realizar o disparo de forma adequada, ou poderá ocorrer também o duplo disparo e/ou ocorrerá o auto disparo.

disparo ineficiente.jpg

Disparo ineficiente: Este fenômeno será encontrado quando o paciente não consegue iniciar um disparo de forma eficaz, assim gerando uma contração diafragmática inefetiva para vencer a programação da sensibilidade de disparo do VM para iniciar um novo ciclo respiratório. Os motivos pelo qual isso ocorre poderá ser devido uma programação de sensibilidade muito alta ou pouco sensível, obrigando o paciente a gerar esforços inspiratórios maiores, porém ao não conseguir vencer esta sensibilidade poderemos verificar assincronias e acreditamos que ocorrerá lesões diafragmáticas, aumento de tempo de VM e até mortalidade aumentada. Outro motivo muito comum é a fraqueza muscular inspiratória que leva a um disparo ineficaz mesmo quando a sensibilidade está bem ajustada e um terceiro motivo poderá ocorrer em um paciente não totalmente sedado com drive presente, porém que não consiga gerar uma força inspiratória adequada para disparar a VM vencendo a sensibilidade pré-ajustada. Podemos notar na imagem a contração diafragmática pela pressão esofágica, e ao mesmo tempo vemos nas setas que o disparo da VM não ocorreu, pois o esforço inspiratório foi ineficiente.

duplodisparo.jpg

Duplo disparo: Este fenômeno ocorre quando o paciente ainda mantém o esforço inspiratório no momento da ciclagem da VM. Ou seja, o tempo inspiratório da máquina está menor que o tempo inspiratório neural do paciente, assim como vemos na curva esofágica o esforço inspiratório se mantendo e o VM tentando ciclar, ocorrendo um duplo disparo e um empilhamento de ar que leva a um aumento da pressão de pico.

autodisparo.jpg

Auto disparo: Este fenômeno ocorre sem o esforço do paciente, ou seja, alguma coisa ocorreu para que o VM auto disparasse sem necessariamente estar relacionado com o esforço inspiratório humano. Encontramos está ocorrência em  vazamentos no circuíto, líquidos no circuito ventilatório ou oscilações cardíacas. Todos estes motivos poderão levar ao auto disparo da VM. Os líquidos e as oscilações cardíacas poderão gerar uma vibração que se propaga, assim confundindo a máquina e gerando a abertura a válvula inspiratória em momento indesejado. Notamos um aumento importante na FR do paciente sem ao menos o mesmo estar realizando esforços inspiratórios.

Assim comentamos a assincronia de fase 1 e podemos passar a observar com mais atenção estes fenômenos e procurar os motivos pelos quais podem estar levando aos mesmos, para uma correção eficiente.

Fernando A. Batista