VENTILAÇÃO MECÂNICA DURANTE A RESSUCITAÇÃO CARDIOPULMONAR

Six Dial.png

Adaptado de Sahu et al, 2020.

 De acordo com as diretrizes atuais, sempre que uma via aérea avançada estiver instalada durante a ressuscitação cardiopulmonar, a ventilação com pressão positiva deve ser fornecida sem interrupção das compressões torácicas. A ventilação com pressão positiva pode ser fornecida por meio de ressuscitador manual (válvula-bolsa) ou ventilador mecânico (VM), que se mostram igualmente eficazes. Atualmente, não há diretrizes específicas para configurações de VM em parada cardíaca.

 Sahu et al. apresentam um conceito de “estratégia de ventilação de seis dicas durante a RCP” que abrangem as configurações baseadas em evidências apropriadas durante a compressão torácica.  Eles sugerem que :

Modo - VCV

Garantir o volume ofertado.


Pressão expiratória final positiva = 0 cmH2O
Sugere-se uma PEEP zero durante a RCP para que não impeça o retorno venoso na fase de recuo torácico da RCP, embora mais evidências de estudos em humanos sejam necessárias para apoiar isso .

Volume corrente = 8 mL / kg e Fração de oxigênio inspirado = 100%
As diretrizes atuais recomendam um volume corrente de aproximadamente 600 mL para adultos para ventilação durante a parada cardíaca. Portanto, sugere-se que um volume corrente de 8 mL / kg deve ser fornecido durante a RCP , além de usar a maior fração disponível de oxigênio inspirado (em VM = 100%).

Frequência respiratória = 10 por minuto
A hiperventilação é muito comum durante a RCP, ela pode aumentar a pressão intratorácica , reduzindo o retorno venoso ao coração, em seguida reduzindo débito cardíaco e a pressão de perfusão coronariana. Uma frequência respiratória  reduzida pode ser suficiente para manter uma relação ventilação / perfusão normal durante a RCP, já que o débito cardíaco gerado pelas compressões torácicas é de apenas 10-15% do normal. 

Pressão Inspiratória Máxima de Pico (Alarme Pmax) = 60 cmH2O
Durante a RCP com via aérea avançada instalada, a ventilação é fornecida de forma assíncrona às compressões torácicas. Frequentemente, acontecerá que o ciclo inspiratório da VM pode coincidir com a fase de compressão da RCP. A fase de compressão da RCP aumenta a pressão intratorácica, que pode subir acima do pico de pressão inspiratória definido (Pmáx; que geralmente é definido em 35 – 45 cm de água), limitando a VM . Portanto, é aconselhável aumentar o alarme Pmax para 60 cmH2O. Aumentar o Pmax deve alertar o usuário sobre o risco de barotrauma; portanto, a titulação da Pmáx deve ser feita individualmente a cada paciente. A Pmáx permitida é 80 cmH2O.

Sensibilidade do Ventilador = DESLIGADO
Um valor de sensibilidade muito sensivel, pode ocasionar o disparo em reposta a compressão do tórax, o que pode levar à hiperventilação e à deterioração das trocas gasosas durante a RCP. A sensibilideda desligada é o ideal durante a RCP no ventilador mecanico. Se não houver a opção de desligar a sensibilidade, altere para sensbilidade a pressão com valores mais altos possiveis ( ex: -20 cmH20)

Tempo Inspiratório Adequado = 1 Segundo
De acordo com as recomendações atuais, o fornecimento de cada respiração por bolsa-válvula deve ter a duração de 1 segundo. Como a frequência respiratória é definida em 10 por minuto, para cumprir as recomendações, a relação entre o tempo inspiratório e expiratório (I: E) deve ser 1: 5. 

É importante ter em mente as complicações associadas à VM, como o barotrauma. A falta de ventiladores mecânicos adequados em emergências, a falta de experiência para usá-los e a indisponibilidade de estudos robustos em humanos s são obstáculos para usar essa estratégia proposta. Assim que a ressuscitação cardiopulmonar for alcançada, é necessario alterar as configurações ventilatórias. As diretrizes atuais para cuidados pós-PCR recomendam o uso de ventilação com baixo volume corrente (6–8 mL / kg de peso corpóreo ideal) com níveis titulados de PEEP e visando normocapnia. Outros parâmetros, como sensibilidade, alarme Pmax e relação I:E devem ser ajustadas de acordo com as necessidades do paciente.

Equipe VMProplus